Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Julho, 2006

Odeio o modo como não te odeio

"O ódio é a cólera dos fracos" (Alphonse Daudet) Odeio tudo. Impactante? Talvez. Mas como disse alguém, o ódio move os homens. Acordei com um ódio que não me move, mas me comove... (Rima muito pobre) Pensei no ódio que sinto em ser quem sou, menina de pernas finas e brancas demais. No ódio de adormecer irrequieta, ansiosa demais para esperar o nada. E é incrível como com o espírito carregado de ira a lista de objetos odiados é imensa. Mas no repouso do ser, listar-se o que se ama é sempre um exercício árduo. Disseram-me que o que se odeia é o que faz parte de nós. As pessoas que mais odiamos são as que espelham nossos reflexos. Eu odeio o desprezo. Não o dado, mas o recebido. E é por isso que me pergunto se é verdadeira a grande receptividade que eu penso ter. Odiar é um ótimo modo de reconhecer os erros. É no ódio que eles se apresentam, um por um, esperando pra serem julgados. Odeio ser ignorada em uma discussão. Odeio falsos entendidos. Odeio infantilidades na hora errada…