Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Outubro, 2008

No meu quarto você encontra...

"Vivo numa dualidade dilacerante. Eu tenho uma aparente liberdade mas estou presa dentro de mim" (Clarice Lispector).

Se você foi embora da casa dos seus pais há um tempo, você pode se identificar com esse texto.No dia em que você pôs o pé pra fora de casa com suas malas, seu quarto deixou de ser propriedade sua. Aliás, se seu quarto não virou para sempre área de serviço, com uma tábua de passar no lugar da sua cama, dê graças aos céus. A maioria dos casos é menos grave. O cômodo vira depósito de bugigangas ou o quarto de visitas, mas de qualquer forma um pedaço meio morto da casa, o qual ninguém habita. Claro que você volta algumas vezes de passagem, na tentativa de recuperar seu reino perdido. E o que você encontra não é mais o seu quarto, onde antes reinava soberano. Mas apenas um lugar no qual há uma vaga lembrança de que você esteve por ali. Uma reunião de reminiscências, mortas, esquecidas em um canto. Fotos de pessoas antigas, manchadas e empoeiradas, compõem o mural. …

Prosa presa à poesia

"O passado é uma roupa que não nos serve mais" (Velha roupa colorida, Belchior)

O mundo dos sonhos é confuso, arredio e impenetrável.Eu mesmo, que tão longe de ti estou,Sonhei essa noite que aninhava a cabeça no teu peitoE tu me colocavas para dormir.A cabeça colada ao peito, o ouvido acompanhando o compasso do coração.E pensar que acordada não sei mais o ritmo que ele bate.Não sei o que sentes, por mim ou coisa alguma.Não sei com quem se deitas, se é a mesma da noite anterior.Ignoro-o porque há muito não aninho minha cabeça no teu peito.Será que o fiz, algum dia?Quem sabe foi um dia antes de lançarmos os dados para escolher o vencedor.A ponta das flechas lançadas penetrou certeira, no meu peito e no teu.No mundo de Morfeu, teu peito bate compassado e me põe para dormir.Tampouco o meu coração parece estar ferido, no sonho.Repousar a cabeça no teu peito é gesto corriqueiro.Como a conseqüência inevitável de dois corpos vulneráveis à presença e ao toque do outro.O sonho é o reve…