Aureas Mediocritas

"El hoy fugaz es tenue y es eterno; otro Cielo no esperes, ni otro Infierno." (Jorge Luis Borges)

Não ser feliz nunca

E viver sonhando

Para o passado sempre voltando

Numa alegria parca

A vida em frente intacta

Os amores procurando

Os anseios o ser levando

E resulta a teia opaca

Se lhe sucede o pequeno desapego

Transforma-o assim no infinito

E esquece do quão o segundo é infímo

Espera ao redor o aconchego

Mas somente o caos e o grito

Vem de encontro ao estado crítico

0 comentários:

 

Copyright © 2010 • ::: salto baixo • Design by Dzignine