Querido Papai (Noel)

Primeiro de tudo vamos fingir que você é aquele personagem que habita os sonhos das crianças e não o cara que vai cansado me buscar na rodoviária. Vamos ignorar o fato de que conversamos, no mínimo, três vezes por semana, o ano todo, e não apenas um pouco antes do Natal, o que é comum para a grande maioria que só pensa em você nessa época. Vamos esquecer, durante a leitura dessa cartinha, que você é meu pai.

Faremos isso porque o pessoal do trabalho pediu para que escrevessemos uma cartinha para o Papai Noel e se eu escrevesse como sua filha mesmo, poderia levar vantagem.

O intuito dessa carta é contar o que eu fiz nesse ano e por que mereço ganhar presentes. E dizer também o que eu quero para o ano que vem. Então lá vai.

Em 2008 eu comecei em um emprego novo, peguei mais um canudo, mudei de casa, adotei um gato de rua, terminei uma pós, quase morri depois de uma cirurgia, entrei no Movimento de Cursilho, fiz dois cursos de idiomas, viajei muito e escrevi mais um tanto.

Fui poucas vezes ao cinema e ainda menos vezes ao teatro. Li menos livros do que gostaria. Mas nesse meio tempo eu fiz muitos novos amigos, cultivei os antigos e no meu aniversário tinha um monte de gente para comemorar comigo.

Não fiz tatuagem, não engravidei e não entrei em coma alcoólico. Isso faz de mim uma boa menina, né pai? Ops, desculpa, esqueci.

Nesse ano, não disse a você o quanto me orgulho de você e do seu ofício, não disse à mãe o quanto eu sou grata por tudo o que ela faz por mim, ao Rodolfo a sorte que eu tenho por ter um irmão como ele e não dei à Verônica todos os conselhos que eu deveria ter dado. Então, em 2009, eu quero ter mais tempo e coragem para dizer tudo. E nisso estão incluídas muitas outras coisas.

No trabalho eu vivi experiências bem diferentes, como lançar cartão de crédito no Turvo, entrevistar de médicos a agricultores e carregar uma coluna de um lado para o outro. Torço para que ano que vem continue assim, dinâmico, porque às vezes falta disposição para inovar.

Família, amigos e trabalho. Não ando com muitas outras prioridades ultimamente. Que tudo continue assim, mas que ano que vem eu faça um pouco mais. Que eu faça carteira de motorista, arrume um namorado, compre uma estante, controle o gato e aprenda muito e muito mais.

Se alguma coisa for muito difícil para você, eu juro que entendo. Afinal, você sempre se esforça para que tudo seja perfeito para mim. Mas saiba que você e todas as outras pessoas que eu encontro e coleciono já são os meus melhores presentes.

Com carinho, da sua filha, Tatiana

Papai Noel do Brasil, vulgo meu pai!

1 comentários:

{ Scheyla Joanne Horst } at: 29 de janeiro de 2009 07:26 disse...

Gostei bastante de ler esse texto! ;)

 

Copyright © 2010 • ::: salto baixo • Design by Dzignine