Casablanca



Nossa história não daria um filme, nem uma novela
Um caso engraçado, talvez uma piada
Que passa, míngua, mas não acaba
Uma vez que é alimentada dia-a-dia
Na esdrúxula comparação com uma plantinha
Regada todo dia
Com fel

Um dia eu enxerguei mel
E imaginei, como tudo a que sou habituada
Que a história poderia ser continuada
Um conto de amor, ou mais que uma noitada
E saltitei rumo à abelhinha
Romântica doída de dar dó
Me ferrei com seu ferrão

Hey, boy, não te quero mais
As linhas das mãos estão todas atrapalhadas
Tudo em mim já se esgotou de se acabar
Você já cansou de me desconhecer
Partirei rumo à terra dos desiludidos
Ferrados, coitados, fudidos
Para onde terminam os casos de amor abortados

Lá verei que outros acabaram
Depois das possibilidades atravancadas
Vejo os casais que poderiam ter sido
Mas, pela desgraça de um fado
Não foram, ora bolas
Porque fez sol, porque fez chuva
Os dados rolaram, as fichas são outras
Demorou para decidir, amour, au revoir!

Não é porque teve cotovelos demais
Não foi por causa do começo sem paz
Nem pelas minhas inesgotáveis tentativas
Muito menos pela falta de respostas
Tampouco pelo que você fala e eu não escuto
Ou quando eu falo e você não entende
Sabia que os sobrenomes não combinam?

Já cruzei nossos mapas astrais
Incompatibilidade total
Você daria um bom pai, talvez um avô ranzinza
Um péssimo companheiro de viagens
Seu ombro é meio duro para recostar a cabeça
E você parece ser do tipo que controla gastos
Mas não, não é isso

É que nós jamais, jamais, jamais teremos Paris

*Agradecimentos a Lucas Guedes, que me apresentou Tiê e essa canção.

6 comentários:

{ Lubi } at: 2 de abril de 2009 08:04 disse...

olha.
não conhecia esse teu lado poeta.
;)
uma boa surpresa.

e tiê. e tiê, minha querida, anda falando alto dentro de mim.

{ Klaus } at: 2 de abril de 2009 19:53 disse...

Enchanté! La poetê du Diarô écrire très bien le poemê! Très bien! Demorrei dix minutos pur écrire ce comentérrr! Je espérro que vous comprendre everything!

{ Graci Polak } at: 3 de abril de 2009 09:10 disse...

Ai, Tati, adorei!
Tanto que até mudei o link no blog, rsrs...

E entra nisso: www.pautaparida.blogspot.com. E espalha!

Sim, ando muito ociosa =)

{ Michele Matos } at: 4 de abril de 2009 12:38 disse...

E se não terão Paris, não tem porquê né...

=***

{ Scheyla Joanne Horst } at: 5 de abril de 2009 13:49 disse...

É, nunca tinha ouvido essa moça cantora. E ter sobrenomes que não comnbinam complica.
Belo texto, enfim! :)

{ CamilaRufine } at: 6 de abril de 2009 16:50 disse...

Clap, clap, clap (onomatopéia de palmas).
Tati, admiro pra caramba quem consegue escrever assim, musicalmente.

Parabéns.

Amei o que li. Lindo.

 

Copyright © 2010 • ::: salto baixo • Design by Dzignine