Pular para o conteúdo principal

He's back

Quatro dias ou quase isso. A partir da constatação, seguiu o choque, a tristeza, a sensação de incapacidade. Depois veio a hora de contar para todo mundo. Perdi o gato. O psicopata? Esse. Aí já estava me conformando que o havia perdido, quando a menina da casa ao lado (e dois andares abaixo) disse que ele estava escondido embaixo da residência, acuado pelos três cachorros que latiam sem parar.
Como assim? Tão perto, o tempo todo? Demorei para encontrar os moradores em casa e acabei conseguindo a ajuda de dois bombeiros (meus colegas de trabalho) que se prontificaram à tarefa do resgate. Rodamos a casa, gritamos, ajoelhamos na terra para encontrar o bichano. E ele veio. Magro que era uma tripa, sujo, assustado.
E lá se foi a saga de contar para todo mundo. Achei o gato. E ouvir: eu não disse que ele voltava? Sim, devia ter acreditado. Cheirou o território e depois de um tempo recuperou a pose de rei do pedaço. Tentou abrir a porta do meu quarto e mesmo debilitado conseguiu. Dormiu nas minhas cobertas. Dane-se. As cobertas podem ser lavadas, tenho outras. Ele está de volta e é isso que importa.



*Em cima, da esquerda para a direita: 1 - Felícia comemora a volta de seu brinquedinho. 2 - Bombeiro Klaus, tentando fazer pose de herói. 3 - Verificando se ele está inteiro. 4 - Bombeiro João, desde o início. 5 - O rei absoluto. 6 - Quilos perdidos. 7 e 8 - a partir de agora, janelas fechadas. 9 - sim, ele realmente está de volta.

Comentários

João disse…
hahahaha
a pose típica de bombeiro do Klaus eh a melhor!!
quem naum o conhece, diria que eh um bombeiro! rsrsrs
Até que enfim, hein, Polaco! Todos sentiram sua falta.
João disse…
ah... o resgate foi difícil. Tivemos que conter o ímpeto dos cães e enfrentar muita lama. Mas, felizmente, tudo deu certo. O felino encontrava-se um pouco magro, sujo, mas bem animado. A proprietária tomou as providências cabíveis no sentido de alimentá-lo e todos os procedimentos veterinários foram tomados. Logo, o estado de saúde do felino é excelente.
Camila Marin disse…
Fico muito feliz por você e pelo Polaco!!!
Juliana Cruz disse…
que ótimo! hehehe. quem dera todo mundo tivesse a mesma sorte que você, tati!
Ilana disse…
Que bom que você o encontrou.
Muito lindo ele...

Eu infelizmente vou ter que me desfazer da minha gatinha.. por livre e espontânea pressão...
Tiozaum disse…
obaaaaaaaaaa
q bom q bom saber q o polaquinho voltou \o/
Fiquei mto feliz :D
Que demais, ele voltou mesmo. Agora é só agarra-lo até ele enjoar.
Klaus disse…
É isso aí, bombeiro João! Às 11h40 o resgate foi acionado, o qual deslocou até a casa, ou a parte de baixo dela, da solicitante, a qual informou haver um gato exposto a riscos de 1 sétimo de vida. Ato contínuo, os bombeiros, apesar da lama, que dificultou a operação, usaram de todo o treinamento e o tino policial-bombeiral para resgatar a vítima, com todos os sinais vitais intactos. A vítima dispensou o deslocamento à casa hospitalar e a solicitante ofereceu macarrão, o qual não pode ser recusado, para comemorar!hahaha
Neto disse…
ahh que tchuqui tchuqui
*.*
O Polacão voltouuuu ! O Polacão voltouuu ! O Polacão voltouuuuuuuôÔÔÔ !!!!
Michele Matos disse…
Ai, Deus é pai, não é padrasto.
Michele Prado disse…
Que boa notícia!
Aperte-o muito, muito, muito.
Tarini disse…
Q beleza!!
Jah é bom ter ele em casa...
=D
Só naum entendi uma coisa, ele q some e eu q tenho que tomar o remedio p/ verme??
=S
Lubi disse…
feliz por você, Tati.

beijos.
Diangela disse…
Drogaaa!!!! O maldito gato vai me encomodar... Apenas diga pra ele ficar longe das minhas calças.
Maristela disse…
Polaco! Polaco!
O pé magro dele!!! Q graça!Nunca mais vai subir na janela... tomara!!
eee!!! ele voltou!
tati, fds fi corrido, acabei me esquecendo-me de te ligar...
me perdoa-me?
beijoo
Klaus disse…
Nossa! Quantos comentários! Acho que "vou pular o gato" da janela de novo, só pra aumentar o ibope! Depois capitao Joao e eu salvamos ele novamente das garras mortais dos cães impiedosos!!!

Miaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa
Carol disse…
Tem como não comemorar o retorno do gato com um relato desses? hahaha E olha que eu não sou muito apegada aos felinos!
Eu sempre soube que o sonho do João era ser bombeiro e, mais do que isso, queria muito escrever os boletins informativos para a imprensa, com direito ao vocabulário peculiar!
bjs
Contos de Fada? disse…
Passei por aqui para conferir! Um abraço!
Geraldo
Neto disse…
ehhh a de londres cai msm em 2012 com ctz!!! =D adoooro
agora a da linda mulher nao da mesmo pra bebe, eh serio, acho q so falta eu no mundo pra ver esse filme. ahsuhusa
Ediane Battistuz disse…
Minha gata sumiu certa feita... foi passear na vizinhança de manhã e só voltou no final da tarde. As longas e duras horas que separaram o momento do sumiço do momento de tão esperado retorno eu passei quase todas aos prantos. Como pode um ser pequeno de quatro patas fazer tal estrago? Primeiro, briguei por ela ter fugido e ter me deixado aflita, angustiada, triste, desesperada o dia todo. Mas só briguei só um pouquinho. Afinal, ela não ia entender...
Lucemary disse…
Eu jurava que ele não ia voltar... rssss... feliz por voce, menina Tati!
Finito Carneiro disse…
Tati, esse gato tem que entrar no panteão dos gatos que perderam uma vida!

Postagens mais visitadas deste blog

O reinado dos Castelões

Existem lugares que são verdadeiros achados, residindo insuspeitos no meio do caminho. Castelões é um deles. Num domingo quente e sem planos, topei com ele em uma rua deserta do Brás, onde morei por um ano e meio. Nesse tempo, acostumei-me, embora muita gente torcesse o nariz, às ruas feias do bairro que já chegou a ser mais conhecido na Itália que a própria São Paulo. Hoje o Brás perdeu um pouco do encanto e o título de ‘berço’ italiano acabou ficando para a Mooca, entre os menos entendidos. Para o Brás, sobrou a fama de sujo, feio, perigoso e casa de um Arnesto meio esquecido.
Por isso, nem me abalei quando meu então namorado sugeriu que almoçássemos num lugar que de longe tinha aparência meio duvidosa.No Brás tudo tem esse quê de capenga. Mas Castelões foi um engano nesse sentido. Ao chegar perto você percebe que sim, está diante de um lugar raro. A placa é de 1924 e não é mentirosa. O restaurante existe lá desde então. Trata-se do local mais antigo funcionando ininterruptamente n…

Das esperanças

Hoje consegui parar em frente ao computador e com um pouquinho de tempo para responder às suas angustiantes letras. Hoje, esperando que você esteja melhor, parei para te escrever que, sim, acredito no amor. Com o tempo, os tombos, os tropeços e as cravadas na saída (qual ginasta olímpica), com as fichas caídas, os choros copiosos e soluçados para os meus travesseiros... Passado tudo isso, posso dizer que, mesmo que mais 200 relacionamentos meu acabem daqui para frente, sim, acredito no amor. Aprendi que o amor não acaba, ele só muda de rosto. O amor é nosso, amiga. A gente entrega para quem estiver mais disposto, para quem estiver atento no lance, para quem se encaixar com a gente. Por enquanto é essa neblina, esse tempo turvo, que parece que não vai desanuviar nunca, mas ó. Vai passar. E te diria isso mesmo sem estar em um relacionamento. Te diria isso numa manhã de fevereiro, antes e depois do carnaval, quando eu ainda nem  o conhecia. Diria isso mesmo depois de ter perdido um ou…

Prece de inverno

Minha mãe diz que arrumar a cama todo dia faz a gente ficar protegido. Confesso que nem sempre lembro. Às vezes é escolher entre a cama, lavar a louça do café ou assistir um pouco de tevê. A coberta meio embolada, o pijama jogado no canto, travesseiro caído no chão. Hoje numa calçada encontrei um morador em situação de rua arrumando a dele. Confesso que nem sempre reparo neles. Às vezes é a pressa, noutras estou resolvendo alguma coisa na tela, em algumas estou de olho nas vitrines. Eu meio distraída, desviando dos senhores, das senhoras e de suas casasmóveis. O homem arrumava a cama com tanto zelo que prendeu meu olhar. Confesso que uma partezinha de mim pensou para que tanto cuidado em arrumar algo que qualquer um podia bagunçar. Vi sua mão colocando a coberta azul bem certinha embaixo do colchão fininho, dobrando bonito perto do travesseiro, passando a mão por cima para tirar toda ruga. Eu pensando que aquela cama era toda a sua casa, tanto esmero que valia.
Desejei aquele cuid…