Turbulência emocional

A semana nem acabou e eu já vivi aquelas gangorras emocionais que toda mulher louca transtornada e de hormônios à flor da pele conhece. Já fiquei muito triste, de não consegui esconder. Fechei a cara e questionei os sonhos, que viraram pó. Achei uma solução, quebrei a cabeça, desenhei esquemas. Me vi livre. Entreguei os betes, senti saudade, quis que uma catapulta me arremessasse para bem longe. Fiquei feliz, acordei não me cabendo em mim. Recebi notícias como quem recebe um presente de rei mago. Aí voltei, voltei a mim, voltei às páginas, desejei uma terapeuta, um banho de sais. Desejei você aqui. Senti cansaço, de quase fechar o olho. Tive de escrever, mesmo sem saber a mensagem. Soube a mensagem, mas não pude escrever, nem falar. Pedi uma trégua, mas tive de continuar, para terminar. Porque assim, desse jeito me veria livre. E a possibilidade de ter de novo a responsabilidade nas mãos fez os sonhos se esfacelarem entre os dedos. Tive ciúmes, senti o rosto arder, só de imaginar. Não tive forças para nada, engoli a comida. Acordei com o olho inchado, não senti fome. Deixei o impulso me levar, acabei com quatro passagens na mão. Duas de ida, duas de volta. Trocaria todas elas por um bilhete só de ida para qualquer lugar, lugar nenhum.


13 comentários:

{ Neto } at: 27 de agosto de 2009 17:30 disse...

wow, quanta coisa hein
hehe ^^
vida movimentada por ai

{ Camila Rufine } at: 27 de agosto de 2009 18:05 disse...

Este texto poderia ser meu, mas acho que não conseguiria me expressar tão bem. Quem mandou a gente nascer mulher, né?

beijo.

{ Klaus } at: 27 de agosto de 2009 18:38 disse...

Graças a Deus eu sou homem!!! Você não precisa de terapia, coisa nenhuma! Você precisa mudar de sexo! Se bem que, imagine um homem com essa montanha russa de sentimentos, no mínimo não sobreviveria! Espero que isso passe antes das aulas práticas de direção!hahaha Graças a Deus eu não sou o instrutor...

{ Eduardo Machado Santinon } at: 27 de agosto de 2009 19:07 disse...

Há uns três anos atrás eu estava com curriculo na mão procurando emprego no centro da cidade e me vi cansado de ver a cena repetida de sempre. Desemprego e sem gracismo. Sentei numa escadaria e fiquei fumando cigarro com o repeat ligado no mp3 ouvindo essa do Lenine. Sonhando, desejando. A diferença de ontem pra hoje é só o emprego.

{ Eduardo Machado Santinon } at: 27 de agosto de 2009 19:08 disse...

E já ia me esquecendo, duas diferenças. De uns tempos pra cá a vida tem bem mais graça.

{ Olavo } at: 28 de agosto de 2009 03:38 disse...

È acontece..ja me senti sem rumo ja tive todo tipo de humor em um unico dia..pior que as vezes é uma droga..
Belo blog
Beijo

{ Juliana Cruz } at: 28 de agosto de 2009 07:19 disse...

e eu acho que tpm é super legal.

{ Michele Matos } at: 28 de agosto de 2009 08:08 disse...

TPM não é de Deus.
E quem a ignora não sabe o risco que corre.

p.s: Talvez nao tenha mais, tinha um freezer da kibom na lotérica mais perto de casa...
=**

{ Marcela } at: 28 de agosto de 2009 12:09 disse...

O que será que é "estragar uns betes"?

{ Elinha } at: 28 de agosto de 2009 16:03 disse...

caramba, vc deescreveu exatamente a minha semana!!
adorei!!
xero.

{ Siguilita } at: 30 de agosto de 2009 19:14 disse...

aaahhhh sei exatamente como é isso...
bjao Tati

{ Estrela do Mar } at: 31 de agosto de 2009 16:29 disse...

Podia acabar com mais uma passagem: Guarapuava- Prudentópolis.
Bjo

{ Paulinha Fernandes } at: 1 de setembro de 2009 11:42 disse...

ou Guarapuava-Campo Mourão, quem sabe?! =)))

 

Copyright © 2010 • ::: salto baixo • Design by Dzignine