Sangre

É pela dor e pela falta. Sei muito sangrar quando as coisas não vão bem. Pode ser difícil as lágrimas rolarem, mas elas vêm, ah vêm. O atraso me incomoda, me incomoda ainda mais a impotência. Eu passei dias sem entender a irracionalidade humana. Sem entender porque as pessoas precisam machucar o outro para se redimir. Eu me senti fraca para cumprir as obrigações, porque cumprir obrigações é o que há de mais chato nessa vida. Eu precisava sangrar, de raiva, de falta de coragem. Tudo explodiu hoje, com a ressaca desse dia cinza, um dia de folga, de festa, dia de euforia, de encontro. Para mim o dia virou dia útil, dia de trabalho, de se sentir sozinha, pequena, esquecida, raivosa. Dia de sangrar. Eu ainda planejo como encontrar quem me deixou sem resposta, mas acho que quando esse dia vier, ficarei quieta. Setenta vezes sete. Engoli a dor, a incompreensão, mas preciso de ajuda. Até para sangrar eu preciso de ajuda. Não sou nada independente. Preciso que alguém me explique que machucados estancam, eles não sangram para sempre. Depois vêm outros machucados, e outros curativos, intermitentes, cíclicos. O mundo inteiro evita sangrar. Eu evito coagular. Acho sangrar mais digno. Apenas você pode sangrar a sua dor, ao invés de depositar nos outros a sua solidão, a sua indignação e revolta, a sua falta. Mas até para sangrar eu preciso de ajuda...


El miedo es una mierda

4 comentários:

{ Michele Matos } at: 20 de junho de 2010 19:58 disse...

Mas não precisa sangrar sozinha.É bom precisar de ajuda para sangrar.
Dolorosamente lindo!

{ Camila Rufine } at: 21 de junho de 2010 20:17 disse...

Tati,
Só sangra quem é de verdade e quem para e pensa sobre o que é ser de verdade.
Curta sua dor, mas saiba deixar ela ir embora quando for o tempo certo.

{ Camilla Aloyá } at: 13 de julho de 2010 19:21 disse...

sangrar faz refletir... abuse desses momentos, se reconheça neles... acho que é isso.

{ Eduardo Araújo } at: 4 de outubro de 2010 19:17 disse...

Adoro demais essa musica

 

Copyright © 2010 • ::: salto baixo • Design by Dzignine