Termômetro

Minhas unhas da mão e eu vivemos uma batalha incansável
Tento afastá-las da boca, da tentação de consumi-las
Lixo, passo esmalte, faço as unhas
Como mocinha

Uma hora a ansiedade bate
Elas me vencem
Eu as roo
E a vida
toda
rui
junto.

Comentários

Lembra daquele esmalte com gosto de pimenta? haha. Táticas para não roer, ruir.
JUJUbildes disse…
Olá!
Dei os devidos créditos ao seu texto no meu blog. Apenas o tamanho da fonte não é o mesmo da fonte do texto. Mas o seu nome está lá, no final do texto, como costumo fazer quando o texto não é meu. Fonte pequena, média, grande, em negrito ou itálico... não importa; está lá! Não tenho a intenção de me passar por autora de texto alheio. A pessoa que comentou foi infeliz (e eu não rendi assunto), ou não foi perceptiva o bastante. O fato é que a autoria do texto está devidamente creditada: você. Alguém que, aliás, eu admiro como "escritora", tanto que postei um texto seu...
Um abraço.
JUJUbildes disse…
Ah! Para você ver, no texto que postei pouco antes desse seu, eu tb citei você... dá uma olhada...
http://jujubildes.blogspot.com/2009/09/banheiro-e-outros-lugares-nao-tao-afins.html

Viu como não tenho intenção de tomar para mim textos de outros?
Abraço!
paulete miletta disse…
ai, ai, eu e o chocolate. eu e o sorvete, o doce de leite... ai, ai. rs.
FABI disse…
Quem venceu foi vc, ao consumí-las, as unhas perdem!

Sei como é isso...

Postagens mais visitadas