Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Março, 2013

Carlos, o cabeleireiro

O ônibus estava tão abafado que o ar grudava na minha testa e empapava meu pescoço. Num dos pontos, um dos últimos antes do final, entrou o moço dos cabelos tingidos. Como é de praxe, quando se entra pela traseira e se é jovem, começou a se desculpar por tomar seu tempo, mas faz sete dias... e continuou. O calor era tanto e eu estava tão sonolenta que estava quase completando a história por ele: “faz sete dias que me livrei das drogas”, “que entrei pra esse projeto”, “que encontrei Jesus”. Mas aí, o moço dos cabelos loiros e sotaque lá de cima e revistas na mão foi logo falando que chegou há sete dias de Fortaleza e foi roubado. E perdeu as roupas e todo o maquinário de cabeleireiro. E os sapatos. Os documentos. Não dá pra pedir emprego. Sem as roupas, e perdeu até umas economias que trouxe. Fez um boletim de ocorrência no 1º DP, fez novos documentos ali no Poupatempo mas não sabia que não era de imediato, tinha que agendar. Mas aí ele foi ao sebo do seu Messias e pediu pra organizar…