Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2013

Paulista da minha Pauliceia

A Paulista foi uma das primeiras coisas que vi quando aqui cheguei e já era dona de mim. A avenida larga, de prédios altos, pulsou em mim. A Avenida Paulista foi o start, desconfio que a partir dela decidi ser dela, falsa paulistana, da Pauliceia. A primeira coisa que pensei ao me deparar com aquele tanto tão verticalizado foi: preciso engolir essa cidade antes que ela me engula. Corta. A fila de uma loja na 25 de março. Lotada. A moça bonita e paciente atrás de mim trocou umas duas palavras e já desconfiei: é estrangeira. Catarinense, atriz, pausou a carreira para cuidar dos dois filhos. Pouca gente tem essa luxuosa possibilidade. [eu mesmo repenso uma vida de mãe e pobre mortal nessa cidade]. Estava ali para comprar as coisas para a festa do filho mais velho, que, para desespero da mãe, não queria uma festa temática. “Assim fica difícil pra mamãe, filho!”, foi a conversa que ela relatou para mim, enquanto ria. A moça bonita da qual não perguntei o nome me disse algo, no meio da con…

Bye Bye, Brás!

O apartamento que deixo tem uma área a céu aberto gigante, que dá para a parte interna do prédio. Estou me despedindo dela. Porque um ano e meio depois da minha mudança para o que já foi um dos maiores bairros italianos de São Paulo, mais conhecido na Itália que o próprio Brasil, deixo o Brás. Por um ano e meio, essa foi a pergunta que mais detestei responder: onde você mora? Já respondia franzindo a testa, suspiro abrindo o discurso: no Brás. Não aquele Brás das lojas, o do Arnesto, que fugiu do samba. O suspiro antecipado se justificava pela expressão de espanto e pena com a qual me deparava. “Mas por quê?”. Com o tempo, acostumei-me a emendar à resposta a longa explicação de que restei sozinha, decidi ficar assim, e, como não tinha muito dinheiro, foi a única opção. Assim, bem dramática. Não é esse drama todo, garanto. Também não é “ómeudeusquedelícia”. É uma possibilidade. É feio, sim. Fede a xixi, sim. Tem cachorros sarnentos a dar com o pau, moradores de rua, também. Tem a Red …