Promoção especial: remoção de tatuagem

Recebi um e-mail desses sites de compras coletivas: remoção de tatuagem por R$ 49,00. Acabou, meus caros. Vivemos num mundo em que a mágica do perene é desfeita por menos de 50 conto. Foi-se o tempo em que tatuagem era prova de amor, ou demandava noites de sono perdidas nos devaneios do que você deveria gravar para sempre em sua pele, em sua vida, em seu destino.
As bobagens da adolescência, como todo rompante de juventude, que te fazem desenhar um ET na panturrilha com um tatuador nada ortodoxo, numa excursão à praia, verão de 98. Na hora o extraterrestre fazia todo o sentido, mas na volta às aulas ou no verão seguinte você se debruçava choroso sobre sua consciência e se perguntava: por quê? O ET sorrindo de volta. Por quê?!?
Na próxima praia ou na próxima esquina você encontrava a solução: um tribal, fechando a perna, apagando a burrice, o passado, a rebeldia. O tribal era a certeza de que não há crime sem castigo. E que sob aquele desenho feito à força existia a prova real da sua babaquice. Um conserto, meia boca, do seu atrevimento juvenil. Uma tatuagem encobre a outra, assim como um novo amor apaga o anterior.
Acabou. Não há mais bobagens cometidas sem possibilidade de volta. Não existe mais o eterno. O transitório tomou conta de tudo. “Que ousada aquela menina, toda rabiscada”. Duas entrevistas de emprego em que olham feio para suas tatuagens e já era. Ela pode voltar atrás à sua exaltação de personalidade e apagar tudo. Ser mais uma. O brilho eterno de uma mente sem lembranças.
Menos de 50 paus e removo a tatuagem que fiz nas costas. A tatuagem que meu pai quase chorou quando viu. Toda uma angústia familiar resolvida por menos de uma onça. Tudo já é passageiro. A remoção das tatuagens é só o reflexo de nosso tempo. A remoção das tatuagens por um preço quase irrisório é o fim das bodas de prata. Ou dos eletrodomésticos acompanhando gerações inteiras. Os casamentos não duram, nem as máquinas de lavar. Tudo é de plástico, quebrável, removível.
Meus caros, é o fim. Por menos de 50 reais o que você gravou pra sempre ruiu. Todo o símbolo pensado simbolizando um marco de sua identidade. Já era. O que você prometeu no altar, os laços perenes, as fotos amareladas nos álbuns, as cartas guardadas nos armários, a louça de vovó. Nada dura mais pra sempre. Nada.

Comentários

Michele Matos disse…
Cinquentão? Eu perdi a chance de ser rebelde na adolescência por cinquentão?
=/
Texto ótimo, pra variar =*
meianoiteeseis disse…
É por isso que minhas tatuagens sempre foram feitas de caneta BIC - indolores, poucas cores e com a saliva e uns esfregões, elas sumiam; assim como a consciência pesada por tatuar um Dragão Chinês e no final parecer a Dercy curvada.

obs.: ótimo texto.

Postagens mais visitadas