125x125 Ads

Prece de inverno

Minha mãe diz que arrumar a cama todo dia faz a gente ficar protegido. Confesso que nem sempre lembro. Às vezes é escolher entre a cama, lavar a louça do café ou assistir um pouco de tevê. A coberta meio embolada, o pijama jogado no canto, travesseiro caído no chão.
Hoje numa calçada encontrei um morador em situação de rua arrumando a dele. Confesso que nem sempre reparo neles. Às vezes é a pressa, noutras estou resolvendo alguma coisa na tela, em algumas estou de olho nas vitrines. Eu meio distraída, desviando dos senhores, das senhoras e de suas casasmóveis.
O homem arrumava a cama com tanto zelo que prendeu meu olhar. Confesso que uma partezinha de mim pensou para que tanto cuidado em arrumar algo que qualquer um podia bagunçar. Vi sua mão colocando a coberta azul bem certinha embaixo do colchão fininho, dobrando bonito perto do travesseiro, passando a mão por cima para tirar toda ruga. Eu pensando que aquela cama era toda a sua casa, tanto esmero que valia.

Desejei aquele cuidado, a dedicação ao seu bem, aquela sabedoria. Confesso que eu, com uma cama bem maior, bem mais quentinha, com um teto sobre a cabeça e com uma casa inteira em volta dela, não me lembro de arrumar a minha. Quiçá me lembro de agradecer a minha. Desejei fortemente, rezando baixinho, que aquele senhor, de acordo com os ensinamentos da minha mãe, ficasse bem protegido.

0 comentários:

 

Copyright © 2010 • ::: salto baixo • Design by Dzignine